quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Resistência - Agnes Humbert

"O 'agente de saúde' do outro turno diz que meu pé corre risco e que não pode mais cuidar dele sem a orientação de um médico. Minha fraqueza é extrema e, para falar a verdade, estou impressionada com o que aconteceu com a minha cara amiga Gerda Vossing. Ela não pode operar sozinha a máquina, seus nervos estão à flor da pele. Vejo chorar esta mulher sem parar; em outros tempos, era tão alegre, tão forte. Suas mãos e seus braços são um conjunto de feridas. Ela desmaia várias vezes ao dia. Ontem teve um ataque: seu lado direito ficou paralisado. De uma hora para outra, Gerda não pode mais "lhes" servir. Levam-na embora. Ela parte para o hospital numa maca. Para isso é preciso estar nas últimas! Ouço as alemãs dizerem que logo será a minha vez. As frases milenares das lamentações bíblicas afloram inconscientemente aos nossos lábios... "Até quando, Senhor, até quando?" Os mesmos sofrimentos clamam pelas mesmas palavras. Tenho agora a covardia de pensar, com uma certa inveja, nos companheiros que dormem em paz para sempre no cemitério de Ivry! Vildé, Lewitsky, Nordmann, Walter, o jovem René, Ithier, Andrieu... Vocês não lutam mais, vocês ganharam o repouso merecido, estão em paz..." - Agnes Humbert- A história de uma mulher que desafiou Hitler




Sinceridade









Alfred Eisenstaedt - 1963

Up








Betty Boop


Boop-boop-e-doop

While You Were Sleeping



While you were sleeping,
Your babies grew, the stars shined, and the shadows moved
Time flew, the phone rang
There was a silence when the kitchen sang
Its songs competed like kids for space
We stared for hours at our maker’s face
They gave us picks,
Said, “Go mine the sun.
And go gold and come back when you’re done.”

While you were sleeping,
You tossed, you turned
You rolled your eyes as the world burned

The heavens fell, the earth quaked
I thought you must be, but you weren’t awake
No, you were dreaming, you ignored the sun
You grew your garden for your little ones
And you found brides for them on Christmas Eve
They hung young Cain from the Adam trees
And danced

While you were sleeping,
I tossed, I turned
‘Til I closed my eyes
But the future burned
Through the planet turned a hair gray
As I relived the day…

While you were sleeping,
The money died
Machines were harmless and the earth sighed
Through the wind, you slept sound
The gravity caught my love around
The oceans rose, sang about decay
While witches flew and the mermaids stayed
Full of dreams, you overslept
And keeping with the quiet, through the walls I crept
I walked on tiptoe, sent the darkness swirling
Over all the kitchen in the early morning

I’ll never catch up to you,
Who sleeps so sound;
My arms are useless,
My heart beats too loud to go to sleep,
My mind’s too proud to bow out

While you were sleeping,
The time changed
All your things were rearranged
Your vampire mirrors face to face
They saw forever out into space
And found you dreaming in black and white
While it rained in all the colors of the night

I watch the TVs
Memories, championships—vanished to sea
Could it be, my honey between you and me?

So I waited for the riddled sky
To be solved again by sunrise
And I’ve made a death suit for life
For my father’s ill-widowed wife

Did you have that strangest dream before you woke?
Cause in your gown you had the butterfly stroke

Did it escape you like some half-told joke,
When you reached for your plume of smoke…?

It’ll haunt you, my honey bee
Anyone who is anyone has that same dream

Were you falling?
Were you flying?
Were you calling out?
Or were you dying?

Thank God you’re up now,
Let’s stay this way
Else there’ll be no mornings,
And no more days

Cause when we’re dreaming
Our babies grow, the sun shines, and the shadows flow
Time flies, the phone rings
There is a silence when everybody tries to sing



sábado, 29 de agosto de 2009

Dependência ingrata


"O ser humano não tem um coração como o meu. O coração humano é uma linha, ao passo que o meu é um círculo, e tenho a capacidade interminável de estar no lugar certo na hora certa. A conseqüencia disso é que estou sempre achando seres humanos no que eles têm de melhor e de pior. Vejo sua feirúra e sua beleza, e me pergunto como uma mesma coisa pode ser as duas. Mas eles tem uma coisa que eu invejo. Que mais não seja, os humanos têm o bom senso de morrer." Markus Suzak - A menina que roubava livros




domingo, 23 de agosto de 2009

Um m.e.do infantil e irreal

'Não entendo. Isso é tão vasto que ultrapassa qualquer entender. Entender é sempre limitado. Mas não entender pode não ter fronteiras. Sinto que sou muito mais completa quando não entendo. Não entender, do modo como falo, é um dom. Não entender, mas não como um simples de espírito. O bom é ser inteligente e não entender. É uma benção estranha, como ter loucura sem ser doida. É um desinteresse manso, é uma doçura de burrice. Só que de vez em quando vem a inquietação: quero entender um pouco. Não demais: mas pelo menos entender que não entendo.' Clarice Lispector


Sem entender, sem vontade de entender, leve e adoçada com o desentendimento... Não desorientada. Levitando com medo, um medo infantil e irreal que não é só meu ou talvez sequer me pertence, pois me permite levitar. Infantil e irreal, medo ou m.un.do? .E.le é .Ún.ico e eu queria entender.

sábado, 15 de agosto de 2009

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

...

“Se eu tivesse oito horas para derrubar uma árvore, passaria seis afiando meu machado.”




.

domingo, 19 de julho de 2009

Memórias Apriori de um Impuro Vernáculo Promissor


Sim, ele é um Planeta!


Analisando teleologicamente através da consubstância que rege o Planeta, considerando os fatores inconstitucionais, não obstante posso afirmar-lhe que é insano o ato de querer entender tanta barbárie!!!

Sem um propósito alienado, se analisarmos os dados apriori e aposteriori, chegaremos a um telos totalmente epistemológico, tendo um arquétipo taxativo de uma sociedade caótica em que se encontram seres que através da práxis pode-se concluir que são completamente eloquentes e complexados. Todavia, tal resultado ainda deve "prestigiar" o fato de estarmos presentes nesse mundo sensível altamente desprovido de uma inteligibilidade. Ademais, repleto de doxas, estes, constituídos pelo mais vil sendo-comum. Ensimesmarmos com um ufanismo desregrado de uma perpectiva perspicaz e não tendenciosa é algo totalmente quantitativo e qualitativo. Considerando ainda a cinética mecanicista e a dinâmica toyotista, é essencial se resguardar para algo mais organógeno.

Evidentemente, episódios inatos e adventícios considerando uma solidariedade determinada por uma sociedade capitalista e desvinculada de perspicuidade, é repugnante o ato de acharmos inexorável a complexidade da vida humana!!!

O Cógito alimentado por um racionalismo e implementado por um empirismo pode ser visto e aceito em diversas funções, quebrando as barreiras do ceticismo e qualquer tipo de beatitudes e esbónias em que se ocorrem heresias em sentidos metafísicos!! É inimaginável, algo que a mente humana não pode produzir, isso não é um pleonasmo é algo totalmente laico, repleto de lógica e efusividade. O silogismo explicaria essa questão com a efemeridade de algo não inconstante e provido de um logus.

A solução seria deletarmos qualquer tipo de caractere que não sugira uma mudança drástica nos semblantes fenotípicos de uma população anômica e alienada. A dinâmica ontológica, astrológica, vegetativa e o lado animalesco precisam de mudanças que virão com um agnosticismo que deverá ser recheado de uma receptividade recíproca e uma aceitação incondicional de que no decorrer de toda a vida da espécie humana ainda houveram entes que não foram explicados, respectivamente.

Considerando ainda que tem um trouxa lendo isso, asseguro-lhe que esta é uma mensagem subliminar!

Saudosas graças com o comprometimento de dizer somente a purificação de atos totalmente considerados fatos sem constatação de falsidades ideológicas.
Em suma, devemos proteger a Amazônia!!!!!!!